sábado, 15 de outubro de 2011

Sim, tu!

Parte de mim gostava de te dizer que sou totalmente imparcial face à situação.
Muitas outras partes estão já envolvidas demais para a achar justa.

Perfeita (i)legitimidade


Fu#k!

sábado, 8 de outubro de 2011

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

inside out

ossǝʌɐ op ɐçǝqɐɔ ɐɯn ɐɹıʌ ǝs sɐuǝdɐ soɥuıdoɔ sêɹʇ ɯoɔ ǝ :sd

Cinza


À espera...
Do frio que já sinto desde segunda-feira.
Da carta que tarda e que me traz o abraço que cala o mundo e o olhar que tudo e nada diz.
Do presente efémero e material que, um dia, depois de desembrulhado nunca mais me permitiu fugir de verdade. Da verdade.
Do cheiro a castanhas assadas.

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Sem título




Slap in the face



You must think I'm a fool
So prosaic and awkward and all
D'you think you've got me down?
D'you think I've never been out of this town?

Do I seem too eager to please to you now?
You don't know me at all
I can't turn it on, turn it off like you now
I'm not like you now

Now you're here
I bet you're wishing you could disappear
I'm trying to be kind
I get the feeling you're just killing time

You look down on me
Don't you look down on me now
You don't know me at all
A slap in the face
In the face for you now
Just might do now

You're leaving so soon
Never had a chance to bloom
But you were so quick
To change your tune
Don't look back
If I'm a weight around your neck
Cos if you don't need me
I don't need you

Leaving so soon, soon
Leaving, leaving so, soon

You're leaving so soon
Never had a chance to bloom
But you were so quick
To change your tune
Don't look back
If I'm a weight around your neck
Cos if you don't need me
Then I don't need you




terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Pacotes de Açúcar e Bolinhos da Sorte

Aos que restam e aos novos membros do clã...
São preciosos e raros como uma colecção especial. Quer dizer, eu acho que quem colecciona pacotes de açúcar não fique com todos os que usa no café. Mas nunca se sabe.
E o anónimo resistente devia identificar-se.

Mas de toda as vezes que guardei um pacote de açúcar ou executei uma aplicação de bolinhos da sorte, todos vocês se manifestaram a determinado momento e de determinada forma. Daí as novas etiquetas vos serem dedicadas. 

Como me foi transmitido um dia, tudo o que tu dás, retorna. Obrigada.

Tenho um pacotinho de açúcar para dar a cada um. 
E tu responde-me, porque estou preocupada contigo e não existe cabala nenhuma... Para profeta, és um bocado casmurro e isso faz-me pensar que tens razão acerca do teu QI, coisa com a qual até agora discordei. Jesus disse a Lázaro: levanta-te e anda. Uma marca qualquer de bebida, que agora não me lembro, diz: keep on walking.
Diz-se por aí que o mundo acaba em 2012. Sabes, as pessoas ainda não aceitaram muito bem a morte, e então acham que vão morrer todos de repente numa catástrofe qualquer que as ponha a boiar num ecrã de televisão e então marcam datas apocalípticas na agenda.
Susceptibilidades, neste ponto, não devem existir, mas peço desculpa de antemão. É o meu lado Bones.

Que me lixa sempre, não para surpresa minha.

Mar, tu ouve, Everlong. See you on sim city.

Ariel, gostava de te dizer que podes perder a tua barbatana sem medo que tudo acaba bem. Só te posso dizer qual o bolinho da sorte de hoje: "Espera o pior, pergunta o que não sabes, mas que não te reste nenhuma dúvida que quem devia escrever a história, era a personagem principal." Boa sorte.

Meu abraço, melhor do mundo, meu barkat, em que tempo estejas tu: mais vale tarde que nunca. Mais vale nunca mais que nunca. Abraço-te.

Tweet, sweet tweet... passarinho bom esse que trouxeste... Devo-te uma chamada de atenção quando precisares dela.

O bolinho da sorte hoje vai para o horóscopo.



segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

A/C M.

Caro papel,
Estás perdoado e desculpa-me também. Para estar contigo, preciso deles também. Deste, estranhamente, porque se revela sempre terapêutico à sua muito distorcida maneira.
Melhores cumprimentos,
Cíntia

(conversa de papel para toalhita... é tudo o que tenho a dizer sobre este assunto, caso a pergunta surja)

domingo, 30 de janeiro de 2011

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Obrigada - II

Não conto!
Parem de me enviar emails a pedir para contar.

:)

Obrigada

Hoje sinto-me profundamente agradecida e assim que puder digo porquê.
Estou mortinha por dizer...

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Escolhas

Curioso como às vezes a vida vem escrita num pacote de açucar...

"Escolher implica fazer renúncias: que sorte poder escolher, mesmo que nos equivoquemos."


quinta-feira, 11 de novembro de 2010

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Para algures no oeste


:)
Estou muito orgulhosa! Nariz para cima!
Estamos a duas de parabéns, pelo mesmo motivo na razão inversa...

Congrats to me!

Quatro anos depois, eis-me de novo com 56,2kg. Foram precisos quatro anos para ganhar 13 kg...

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Retiro





On mute até terça-feira. Sem telefone. Sem internet.
Bom fim de semana. E boa viagem, "padrinho" e respectiva.



Mesmo a tempo do Halloween


Obrigada!

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Old School

Assim foi no dia 15 de Junho de 1995...



E assim será 16 (!!!!!) anos depois:

"Lisboa - A banda norte-americana liderada por Jon Bon Jovi volta a Lisboa, ao Parque da Bela Vista no dia 31 de Julho de 2011. O concerto faz parte da nova digressão mundial, «Bon Jovi Open Air Tour».

De acordo com a organização do evento bilhetes vão estar em pré-venda no Clube de Fãs entre 28 de Outubro e 1 de Novembro, com a venda geral ao público a começar dia 2 de Novembro. Os preços variam entre os 55 e os 250 euros, que incluem um pacote vip com ofertas especiais.
A banda norte-americana vai actuar no mesmo recinto onde actuou em 2008 no Rock in Rio Lisboa. O espaço tem capacidade para receber 52 mil espectadores.
Com quase 30 anos de carreira, a banda conta com um Grammy, já vendeu mais de 120 milhões de discos e deu mais de 2600 concertos em mais de 50 países, com uma audiência de mais de 34 milhões de fãs.
(c) PNN Portuguese News Network"

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Nightmare on my street

One, two, he was dreaming it too
Three, Four, can't stop him with a shut door
Five, Six, this harm no one can fix
Seven, Eight, I'm consumed by hate
Nine, Ten, he's too close again

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

4 de copas

Encontrei um 4 de copas ao pé do trabalho. Como não tinha nada de mais interessante para fazer fui pesquisar os que dizem sobre esta carta:


"Esta é uma altura propensa para o isolamento social, uma altura em que deve tirar um tempo de folga das luzes da ribalta, faça uma introspecção, aproveite para contemplar os seus próprios pensamentos, o que o atormenta, o que o está a influenciar de forma negativa e visualize uma forma criativa de ultrapassar tudo isso.

Esta carta sugere-lhe que está na altura de meditar, mas não leve as coisas muito a sério, pois o que lhe está a acontecer actualmente de negativo é apenas temporário e facilmente ultrapassável se usar a sua imaginação. Muitas vezes as pessoas têm uma tendência de se deixar ir abaixo, de aceitar de forma servil tudo o que lhes acontece esquecendo-se que o agora é que é uma boa altura de pensar nas circunstâncias e aprender com tudo o que a sua própria vida lhe dá.
Como carta na posição Presente indica-lhe a necessidade de reflectir, de se afastar um pouco do tumulto da vida social para que tenha tempo de se auto-analisar adequadamente. Reveja a sua vida na terceira pessoa, como se de um filme se tratasse, esta técnica irá ajudá-lo a compreender melhor o seu percurso, o que está mal, o que está bom, o que poderia estar melhor, e o mais importante de tudo, o que pode ser mudado e como. O segredo está no focar da sua concentração no que é benéfico e positivo, não se deixe abater pela força das circunstâncias mesmo que lhe pareça que a sua vida não tem remédio."

hummm... para a próxima deixo a carta no chão... :)

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Parabéns!

Ainda O electrodoméstico...

Pois que na sexta feira ao jantar, os rapazes não paravam de falar no aparelho que faz tudo menos bicos... Faz brioches, como diz o padrinho.
O que foi feito das conversas de mamas? O mundo está perdido quando os nossos amigos e homens em geral só falam das possibilidades do aparelho mágico que compraram para a cozinha...
I never thought I'd see the day...

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Sozinha na batalha contra O electrodoméstico

Porquê, meu amigo?
Porque tinhas tu de me abandonar deste modo?
Nem percebo o que te aconteceu. De repente, olhei para ti e sabia que tinhas sido vencido por ela. Deixaste de resistir, de lutar. Porquê?
O que farei eu agora, sozinha e abandonada, na luta contra ela?
Escrevo-te estas palavras já com pouca esperança de continuar a resistir também. Sinto que em breve me vou juntar a ti e poucas forças me restam para combater...
Há alguém que já tem ordens específicas para me arrancar de casa durante um fim de semana inteiro se eu parar de lutar e começar a trocar receitas. E se a cura intensiva contra o fenómeno que te arrancou de forma tão cruel ao escárnio e cinismo que tanto adorávamos juntos não resultar... então até breve...

:)




terça-feira, 7 de setembro de 2010

Para toda a menina de 12 anos que vive dentro dos carecas


AHAHAHAH

"Badah...Olhó careca!"

Hey Mikey


Thanks' for cleaning up the mess!

Os padrinhos servem para isso mesmo, não é? E ainda bem para alguns, porque se dependesse da madrinha... Bem, digamos que a bela máfia é mais revolucionária.

Beijos

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Nenuco crescido

Se para mim acaba a guerra, para ele está prestes a começar...
Sangue meu, em paz na guerra...



Ainda "ontem" fazia para estes bonecos uns paraquedas muito originais com fraldas ou com as cuecas da tia penduradas no estendal (porque eram as maiores). Era uma alegria vê-lo a mandar os bonecos do terraço cá para baixo, a planar agarrados com cordel às cuecas da senhora. E ria, ria agitando os caracolitos.
E agora ai vai ele, todo crescido, de cabelo rapado, agarrar um paraquedas a sério, fazer guerra a sério, com a conquista no horizonte, cheio de um alegre orgulho.

PORQUÊ????

É Milagre!



quinta-feira, 2 de setembro de 2010

For the "Irish" mates


I've been a wild rover for many's the year
I've spent all me money on whiskey and beer
But now I'm returning with gold in great store
And I never will play the wild rover no more

And it's No, Nay, never,
No, nay never no more
Will I play the wild rover,
No never no more

I went in to an alehouse I used to frequent
And I told the landlady me money was spent
I asked her for credit, she answered me nay
Such a customer as you I can have any day

And it's No, Nay, never,
No, nay never no more
Will I play the wild rover,
No never no more

I took up from my pocket, ten sovereigns bright
And the landlady's eyes opened wide with delight
She says "I have whiskeys and wines of the best
And the words that you told me were only in jest"

And it's No, Nay, never,
No, nay never no more
Will I play the wild rover,
No never no more

I'll go home to my parents, confess what I've done
And I'll ask them to pardon their prodigal son
And, when they've caressed me as oft times before
I never will play the wild rover no more

And it's No, Nay, never,
No, nay never no more
Will I play the wild rover,
No never no more



 
No, nay, never will I forget.
Thank you G. And the other couchsurfers as well, S and N.
Thank you Tony Fresh!
Thank you Iron Maiden.

 Sláinte (slantche), Gaelic form of Cheers

E lá vamos nós, pois claro

Sonisphere, Lisboa, 2011


Confirmar.

Mal estar na civilização ocidental

Gostava de os ver agora, aqui no meio de nós. Os teóricos das sociedades complexas e com modos alternativos de organização da sociedade. Aqui?
Será que nos preparam para viver na selva? Onde não há verde, não há peixe por galinha, onde a civilização dominou a natureza. Mas que grandes aventureiros, sim senhor. Os homens das viagens que achavam que alguém que usa pedras como moeda de troca é selvagem.
Seriam assim tão iluminados que fugiram da vossa para viverem com selvagens sem televisão. Fizeram bem. Mas eles estavam bem sem nós. Antes de nós sentirmos que estávamos bem sem eles.
A nós, deviam-nos ter dito que um dia iríamos viver numa sociedade em que as pessoas são formatadas e estúpidas ao ponto de se deixarem manipular por idiotas que têm, requintados, a distinta lata de gozarem com a carneirada. Pessoas a quem nem o humor desperta a vontade de se questionarem.
Se ao menos houvesse uma centelha de reconhecimento quando alguns gritam “estão a gozar convosco!”. Ou pintam. Ou cantam. Ou filmam. Ou miam.
São ocos. Fúteis. Muito perigosos na sua ignorância devota. Acreditam na árvore das patacas, mas chocam-se se alguém furar corpo doze vezes porque acredita na superação da dor ou por outra razão qualquer. Acompanham as novelas das oito, das nove e das onze. As das oito então são verdadeiros reality shows, em que podemos observar animais iguais a nós, o que nos choca. Mas no dia seguinte é dia de revista cor de rosa com pulseirinha do craque que anda com a loira de silicone ou com a morena que não deve ter família que se preocupe em mantê-la numa instituição clínica. E portanto, o choque passa depressa, desde que estejamos entretidos com ficções e realidades que nos distraiam da realidade em que vivemos. E cada um escolhe a sua. Há quem acredite no Arco-Íris e em Fadas. Há quem reze a mortos. Há os que acreditam no Apocalipse e os que prometem Salvação em troca de moedas. Há os que não falem mas exprimem-se com a Arte. Há os que não permitem o preservativo porque não gostam de usar a borrachinha com crianças. Há crianças a passar fome num país, porque os pais dessas crianças mataram pais de crianças a passar fome noutro mundo. Há os que têm fome há mais tempo e agora é tudo deles porque lhes abrem as portas. Há os que querem fugir e saem de uma miséria para outra. Espalhou-se como uma doença e as doenças espalharam-se porque os que nos curam inventam venenos para nos destruírem. A autoridade perde autoridade e o pânico instala-se porque os que não tinham nada querem tudo e os que têm tudo não querem perder nada. Os que tinham o suficiente deixam de ter e os que tinham muito aliam-se e têm tudo, mas vão perder para quem nunca teve nada e não tem nada a perder. E um destes dias, nostálgicos de Abril ou Outubro, os capitães de exército nenhum abrem fogo.
Escrevo para o filho que hoje não posso ter porque na neblina está o Sebastião, que come tudo. É com tristeza que penso que a neblina esconde o pântano, onde o Mar Salgado nos vai engolir. E atrás do Sebastião vamos, a caminho do afogamento. A morte por asfixia é rápida e silenciosa. Calados, deixamos que nos prendam.
Se tudo correr bem, da água nascerás.
Se não correr e um dia souberes que te escrevi com medo de veres o mundo, espero que o Mundo tenha mudado e que tenhamos construído um mundo justo para ti, para que na tua civilização sintas mais Bem que Mal. Escolhe Bem.

Cuspido no início do ano, data incógnita.
 

Lua Cheia

É quando as bruxas limpam as vassouras e, de cabelos ao vento, voam livres.
É quando os lobos saem das tocas e cantam à noite, numa ode uivada.
É quando se tecem feitiços, se contam segredos e as partilhas se revelam.
É quando se colhem ervas e plantas.
É nas noites em que os instrumentos mágicos e alquímicos se põem ao luar para potenciar atributos.
É quando se descobrem amores que julgávamos quietos e adormecidos.
Foi quando descobri que te amava.
E nunca te vou esquecer, por mais que fuja das luas que passam.



2/7/2008

 

Desenterranços

terça-feira, 27 de julho de 2010

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Barkat revisitada over and over

Porque às vezes têm de ser os outros a sentir e a dizerem-nos...

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Air Guitar



Estão abertas as inscrições para o campeonato nacional de Air guitar. Realizar-se-à no dia 30 de Outubro. Para mais informações, deixar um comentário com e-mail.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

quarta-feira, 19 de maio de 2010

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Hoje em Coimbra


Actuam hoje, inseridos na semana académica da cidade que tem mais encanto quando as pessoas saem de lá, os macacos do Guano.